Importa mais o calendário progressivo que a contagem regressiva. Se adotarmos como escala de referência 04 anos e 05 meses de criação da Secopa na Bahia, são 1.610 dias de absoluta e inteira dedicação à missão de preparar, o nosso estado, para realizar, com o máximo grau de excelência, o maior evento esportivo do planeta, ao tempo em que atuando como organismo indutor de legados e integrador dos múltiplos atores que concorrem para o sucesso do Mundial 2014. São indiscutíveis os êxitos acumulados nesse itinerário em que a Bahia foi distinguida como melhor operação da Copa das Confederações, ergueu uma das três melhores arenas esportivas multiuso do país, na opinião dos atletas e treinadores, realizou de forma primorosa o segundo maior evento televisivo da Copa, o Sorteio Final (Final Draw), exibido para 190 países e 500 milhões de espectadores, no Complexo de Sauípe, inseriu a capital baiana e o seu litoral no circuito internacional do entretenimento, conquistou a condição de único estado-sede do norte e nordeste com 03 Centros de Treinamentos de Seleções, além de oportunizar cerca de 50.000 vagas de qualificação profissional, vinculadas direta ou indiretamente ao receptivo do evento. Os frutos começam a ser colhidos, seja no campo da segurança, da tecnologia de espetáculos, patrocínio e proteção de marcas, ou de novos investimentos em mobilidade urbana sustentável, vide os exemplos do Centro de Comando e Controle, no Parque Tecnológico, a retomada das obras do metrô e das intervenções viárias no miolo da cidade, a profissionalização do carnaval, o movimento das "bikes", a recuperação da orla, a transformação do porto e a modernização do aeroporto. Obras estruturantes, parte delas diretamente vinculadas à Matriz de Responsabilidades da Copa, outras aceleradas face ao calendário do evento e todas, indiferentemente se estarão prontas até junho deste ano, resultarão em legados permanentes para soteropolitanos e baianos. Há que se registrar a importância do planejamento estratégico na governança da Copa e o legado institucional da atuação conjunta e federativa dos governos federal, estaduais e municipais, que integrados com a FIFA/COL, dão provas de um novo arranjo para uma gestão pública planejada, cooperada e sinérgica, elidindo retrabalhos e superposições. Serão mais 100 dias de muito esforço organizativo para que tudo esteja pronto quando a bola rolar. O maior desafio nos próximos 100 dias, ao lado da logística e dos requerimentos pertinentes ao espetáculo, é mobilizar a nação brasileira para vestir-se de verde e amarelo, expressando com altivez o que as recentes pesquisas Vox Populi e Datafolha comprovaram: o brasileiro quer a Copa, com destaque para os nordestinos, onde mais de 67% aprovam a realização do evento. Será a Copa da paz e contra o racismo, a "Copa das Copas", como afirmou a Presidenta Dilma, por nossa paixão pelo futebol, pelo respeito internacional que conquistaremos como nação e porque esporte não é "o ópio do povo", muito pelo contrário, uma das mais eficientes estratégias de formação de cidadania saudável e crítica. Pinte o meio-fio de sua rua, ponha bandeirolas nos postes, uma bandeira na janela da casa ou do carro, uma fita verde e amarela nos cabelos e celebre a nossa seleção canarinho, porque a festa vai começar! Juntos num só ritmo. Nós somos a pátria de chuteiras.

 

Ney Campello - Secretário Estadual para Assuntos da Copa

 

Fonte: Secopa

Compartilhar
Av. Joana Angélica, n.° 399, Ed. Fernando José - Nazaré, tel: 55 71 3202-3602 / 3202-3608