O futebol é capaz de unir os mais de 200 milhões de brasileiros, é o esporte que salva vidas, que desvia crianças do caminho das drogas, que representa uma oportunidade de um futuro melhor para milhares de famílias carentes espalhadas pelas cinco regiões do país.

Mas, em pleno século XXI, alguns indivíduos ainda insistem em manchar a beleza do esporte com ações discriminatórias. Uma tentativa de propagar o racismo e torná-lo uma prática cotidiana nos estádios.

Só em 2014, o Brasil assistiu a quatro casos que chocaram os desportistas. Os meias Tinga, do Cruzeiro, e Arouca, do Santos, foram chamados de "macaco" em jogos pela Libertadores, no Peru, e em Mogi das Cruzes (SP), pelo Paulistão. O árbitro gaúcho Márcio Chagas da Silva encontrou bananas colocadas em cima do seu carro por torcedores que não gostaram da sua arbitragem no Estadual do Rio Grande do Sul.

Por último, as atletas do São Francisco, que representaram a Bahia na Copa do Brasil de Futebol Feminino, foram vítimas de ataques de parte da torcida adversária durante um jogo contra a Ferroviária (SP), em Araraquara (SP). A delegação do clube baiano ouviu insultos do tipo: "Todo nordestino tinha que ser exterminado", "porcos" e "pobres miseráveis".

Diante das tentativas de alguns de tornar o futebol um ambiente para propício para a discriminação, a CBF entrou de vez em campo na luta contra qualquer tipo de preconceito. 

No dia 16 de abril, a entidade máxima do esporte no país deu início à campanha "Somos Iguais", com objetivo de conscientizar e repudiar qualquer ato de preconceito, seja racial, econômico, religioso, social, sexual, dentre outros.

Faixas com a mensagem contendo o slogan da campanha e o escudo da CBF, ambos em preto e branco serão levadas a campo antes do início das partidas transmitidas em TV aberta no nas Séries A e B do Brasileirão. Além disso, nos jogos (também de TV aberta) da primeira fase de ambas as competições serão distribuídas dez bolas personalizadas com a logo da campanha e o texto "faça um selfie com a bola usando #somosiguais e sua foto poderá aparecer nas redes sociais da CBF". Cinco dessas bolas serão distribuídas pelo clube mandante entre seus torcedores, para que todos participem ativamente desta luta.

A campanha, por sinal, já chegou à Bahia. No duelo entre Bahia e Botafogo, no próximo dia 4 de maio, ambas as ações serão realizadas na Arena Fonte Nova. Está prevista também a realização da campanha em pelo menos mais uma partida realizada no Estado e televisionada para todo o país.

 

Fonte: Folha do Estado

Compartilhar
Av. Joana Angélica, n.° 399, Ed. Fernando José - Nazaré, tel: 55 71 3202-3602 / 3202-3608