Madri, 12 mai (EFE).- Paulo César de Oliveira Campos, embaixador do Brasil na Espanha, declarou que a Copa do Mundo "deixará um importante legado" no país, embora "não seja suficiente para resolver os problemas" que existem, e opinou que o campeonato provocará "uma melhoria da economia em geral".

"Somos conscientes de que uma Copa não é suficiente para resolver os problemas que existem, mas o Mundial deixará um importante legado. Por isso defendo as 12 sedes, que representam cada região do país. A ideia com essa decisão é distribuir os benefícios econômicos e apresentar as virtudes de cada uma das regiões", disse Campos.

"Houve uma grande redução da pobreza e da desigualdade, e somos um país em desenvolvimento com grandes desafios. A tendência de alta dependerá da melhora na economia brasileira, que passará pela modernização das infraestruturas e do transporte. A Copa é uma oportunidade para somar esforços entre o setor público e o privado. Com o campeonato, haverá uma melhora da economia em geral", defendeu.

"O objetivo é atrair investimentos estrangeiros diretos, que já em 2013 foram de 46 bilhões de euros. As empresas espanholas estabelecidas no Brasil, por exemplo, preveem investir cerca de 128 bilhões de euros entre 2014 e 2016", afirmou o embaixador, durante o evento "Café da Manhã Esportivo" organizado pela agência de notícias "Europa Press" em um hotel de Madri.

O embaixador falou sobre o descontentamento de grande parte da população brasileira sobre os esforços e os recursos econômicos que estão sendo destinados à organização do Mundial.

"Há pessoas que discordam porque pensam que esse dinheiro deveria ser destinado a outros campos. Essas reivindicações são bom sinal para o Brasil, porque é uma democracia jovem, consolidada e pujante", respondeu o embaixador, perguntado sobre uma pesquisa que aponta que 48% da população estão insatisfeitos com o megaevento.

 

Fonte: Uol

Compartilhar
Av. Joana Angélica, n.° 399, Ed. Fernando José - Nazaré, tel: 55 71 3202-3602 / 3202-3608