O tatu-bola, mascote da Copa do Mundo da FIFA 2014™, será apresentado à população de Salvador em uma cerimônia no Farol da Barra na próxima segunda-feira (24), às sete horas da manhã. A ação é uma realização nacional da Coca-Cola, em parceria com a Secretaria Estadual da Copa (Secopa - BA) e o Escritório Municipal da Copa (Ecopa). Além da instalação da réplica inflável do tatu-bola, será oferecido um café da manhã para convidados e imprensa.

 

Este é o primeiro ponto turístico da cidade onde o boneco inflável, de sete metros de altura, vai permanecer durante um mês para visitação pública. Estão previstas mais duas aparições em outros locais da capital baiana que serão divulgados posteriormente. A mascote estará à disposição da população para fotos.

 

O tatu-bola (tolypeutes tricinctus) foi lançado oficialmente no último domingo (16), com transmissão em rede nacional. Entre os motivos para a escolha do animal como mascote da Copa de 2014 estão o fato de ser uma espécie tipicamente brasileira e também por estar entre os animais que correm risco de extinção. A identificação do público com o animal que vai representar o evento é fundamental, por isso todas as doze cidades-sedes vão ter uma replica inflável da mascote.

 

O Secretário Estadual da Copa, Ney Campello, destaca a simbologia da mascote. “A mascote é um dos principais símbolos da Copa do Mundo, e tem grande poder de mobilização, atrai, sobretudo, o interesse das crianças e da juventude. Ao lado disso, a escolha do tatu-bola está relacionada à questão da sustentabilidade ambiental, o que motiva à preservação da nossa fauna”, lembra Campello.

 

Já o gestor do Escritório Municipal da Copa (ECOPA), Leonel Leal, acredita que "a Prefeitura de Salvador fica satisfeita em poder ver mais uma evidência da presença da Copa do Mundo da FIFA de 2012 na cidade. O evento está se aproximando e é importante o engajamento de toda a população".

 

A cada edição do evento a mascote adquire mais importância. São elas que garantem o clima de Copa do Mundo antes e durante o evento de uma maneira lúdica que desperta o interesse da população, sobretudo das crianças. A primeira mascote em uma Copa do Mundo foi Willie, o leão, na Inglaterra - 1966. Depois vieram Juanito, México - 1970; Tip e Tap, Alemanha Ocidental - 1974; Gauchito, Argentina - 1978; Naranjito, Espanha - 1982; Pique, a pimenta, México - 1986; Ciao, Itália - 1990; Striker, o cãozinho, EUA - 1994; Footix, o galo, França – 1998; Ato, Kaz e Nik, Coreia do Sul/Japão - 2002; Goleo VI, o leão, e Pille, bola falante, Alemanha – 2006; e Zakumi, o leopardo, África do Sul - 2010.

 

Amijubi, Fuleco ou Zuzeco

 

O tatu-bola, mascote oficial da Copa do Mundo do Brasil, ainda não foi batizado. O nome do animalzinho só vai ser conhecido no dia 25 de novembro. Um comitê formado por esportistas, publicitários e artistas elegeram três nomes: Amijubi, junção das palavras amizade e júbilo; Fuleco, a mistura dos termos futebol e ecologia e Zuzeco, que junta à palavra azul à ecologia. A população pode ajudar na escolha acessando o site fifa.com/mascote.

Compartilhar
Av. Joana Angélica, n.° 399, Ed. Fernando José - Nazaré, tel: 55 71 3202-3602 / 3202-3608