Dona de um tapete invejável desde meados da década de 1990, a Fonte Nova será reinaugurada com um gramado que fará jus à sua fama. Se tudo andar dentro do cronograma, em 70 dias o campo estará apto para receber partidas de futebol. O início do plantio está marcado para o próximo dia 15 de janeiro.

 

As mudas que serão plantadas na Fonte Nova já iniciaram o processo de maturação em uma fazenda localizada em Sergipe. Elas serão transportadas para a capital baiana em caminhões frigoríficos, que manterão a temperatura ambiente em 5 graus centígrados, ideal para este estágio de crescimento.

 

Cerca de 500 mil mudas serão plantadas. Elas serão colocadas à mão sobre uma camada arenosa formada de matéria orgânica, fibra e resíduo. A estrutura fortalece a grama e facilita a boa drenagem do campo no futuro.

 

O novo gramado terá a dimensão 105 m x 68 m, com uma distância em relação às arquibancadas de 10 m, nas laterais, e de 2,30m, nas linhas de fundo. Depois da etapa de plantio, haverá uma fase de crescimento e alguns cortes, para que atinja o nível considerado ideal para receber partidas de futebol, de maneira que criem raízes fortes e não se soltem facilmente. O primeiro corte deve ser feito 20 dias após o plantio.

 

Exigências - Por exigência da Fifa, as arenas da Copa terão um gramado padronizado, com a grama do tipo Bermuda Celebration, a mais largamente utilizada nos estádios europeus e que tem ótima adaptação ao clima tropical brasileiro. Em algumas cidades do País, como Porto Alegre, São Paulo, Curitiba e Belo Horizonte, os campos terão acrescidas mudas de outras espécies mais próprias para aguentar o inverno.

 

Outra exigência da entidade,  para evitar problemas ocorridos na Copa da África do Sul, onde diversos gramados ficaram com buracos durante as partidas, é que a grama seja plantada diretamente sobre o solo, sem a colocação de placas. Além disso, o sistema de drenagem será a vácuo, quatro vezes mais potente que o normal, o que funcionará no sentido inverso ao da sucção, promovendo também o arejamento do solo, algo importante para evitar a propagação de pragas.

 

Fonte: A Tarde

Compartilhar
Av. Joana Angélica, n.° 399, Ed. Fernando José - Nazaré, tel: 55 71 3202-3602 / 3202-3608