O técnico da Seleção Brasileira, Luiz Felipe Scolari, mantém o foco na Copa do Mundo de 2014. Para o comandante canarinho, a Copa das Confederações deste ano servirá apenas como preparação e o título do torneio não é obsessão. Com a experiência da conquista do Mundial em 2002, ele explica a razão.

"Em 2001, na Copa América, levamos um grupo que achávamos que faria parte de nosso time no Mundial de 2002. E não foi. Aquela Copa América definiu cinco nomes de jogadores que não foram conosco em 2002. A Copa das Confederações será a mesma coisa e marcará muito isso. Para mim e para os jogadores, é importante para traçar um rumo até a Copa do Mundo. Não quer dizer que se alguém não for bem já não será mais chamado, mas é sempre uma amostra oficial", afirmou Felipão ao jornal "O Estado de São Paulo".

Felipão ainda ressaltou a importância de vencer a Copa do Mundo em casa. "Em 2002 foi mais difícil. O Brasil jogava as Eliminatórias e tinha dificuldade para se classificar. Estávamos em terceiro e ninguém admitiria que ficássemos fora da Copa. Seria a primeira. Isso seria uma imagem que ficaria marcada para a história. Agora, jogando em casa, o Brasil tem sim o dever de ganhar. Em 1950, perdemos e já temos um histórico de Copa dentro do Brasil que não nos favoreceu. Portanto, foi pior para mim em 2002 do que agora". Na Copa das Confederações, o Brasil está no Grupo A, juntamente com Japão, México e Itália.

Fonte: Ibahia

Compartilhar
Av. Joana Angélica, n.° 399, Ed. Fernando José - Nazaré, tel: 55 71 3202-3602 / 3202-3608