O plantio do gramado da Arena Fonte Nova, em Salvador, foi concluído nesta segunda-feira (21.01). O processo foi realizado pelo modo sprig (espalhamento manual da planta, em ramos) e foi iniciado no dia 15 de janeiro. A grama é da espécie Bermuda Celebration, indicada para climas tropicais, a mesma utilizada nas arenas Castelão e Mineirão.

Gramado

 

 
As mudas de grama plantadas na Arena Fonte Nova vêm de fornecedores localizados na cidade de Lavras, no sul de Minas Gerais. O gramado vai passar por um processo de irrigação, com 35 pontos ao longo do campo. Desde a colheita até o momento do plantio, as mudas foram mantidas refrigeradas a 13 graus centígrados. Se não estiver na temperatura adequada, a planta não tem uma boa aderência ao solo.
 

 

Os ramos vivos são jogados na camada final do campo, chamada de topsoil. Esta camada tem 10 cm de espessura e é formada por um mix de fibra elástica, fibra de polietileno, turfa e areia. Este conjunto de materiais tem a finalidade de proporcionar uma superfície mais segura para os jogadores quanto a impacto e torções causadas quando a chuteira trava no gramado, além de ser ambiente fértil para o desenvolvimento do vegetal.

 

 

“No material orgânico é onde a grama vai encontrar os nutrientes necessários, além disso, a fibra de polipropileno vai ajudar a dar resistência ao enraizamento da grama. Junto com a areia e o material orgânico, acaba diminuindo o arrancamento dela e se torna uma superfície mais segura para os jogadores, evitando impacto e torções”, explica o diretor de Engenharia da Arena Fonte Nova, José Luiz Góes.

 

 

Abaixo do topsoil, há outras duas camadas, uma de areia e outra mais profunda, de brita. Cada uma tem 20 cm de espessura. Essas camadas inferiores ajudam na drenagem do gramado fazendo a água infiltrar até a tubulação e ser conduzida para o reservatório de reuso. A tubulação de drenagem foi envolta por um conjunto de mantas geotextil e PEAD (polietileno de alta densidade), que funcionará como um filtro, impedindo que as partículas finas dificultem a condução da água para a tubulação.

 

 

A primeira fase da construção do campo começou com o nivelamento do solo base e em seguida foi iniciada a implantação do sistema de drenagem à vácuo, composto por um conjunto moto-bomba que faz a drenagem forçada das águas pluviais, eficiente quando ocorrem chuvas muito fortes. Além disso, o mesmo sistema pode aerar o solo, melhorando as condições para o desenvolvimento da grama, que ocupará uma área de nove mil m². O campo do estádio terá dimensões de 105m x 68m, com uma distância em relação às arquibancadas de 10m nas laterais e 12,30m nas linhas de fundo.

 

 

Fonte: Portal da Copa Arena Fonte Nova

Compartilhar
Av. Joana Angélica, n.° 399, Ed. Fernando José - Nazaré, tel: 55 71 3202-3602 / 3202-3608