O clássico local entre Bahia e Vitória foi confirmado pelo governador do estado, Jaques Wagner, como o jogo de abertura da Fonte Nova. O estádio de Salvador para a Copa, com 91% das obras concluídas, recebeu nesta terça (29.01) a visita de uma comitiva com integrantes da FIFA, do Comitê Organizador Local (COL) e do governo federal. A estimativa é de que a arena seja entregue em 28 de fevereiro e de que o Ba x Vi seja disputado em 31 de março.
 
Durante o evento, houve uma entrega simbólica de um ingresso para cada um dos cerca de 2.500 operários que atuam na construção do palco de três partidas da Copa das Confederações e de seis jogos do Mundial. O mesmo foi feito, no domingo (27.01), com os colaboradores da Arena Castelão, em Fortaleza. O secretário-geral da FIFA, Jérôme Valcke, elogiou o ritmo da obra e parabenizou os trabalhadores.

 

 

“Para nós, o que importa é que o estádio está quase concluído. Desde que entramos aqui, hoje, já colocaram uma lona da membrana da cobertura. Só posso dizer que todos estão trabalhando com afinco. Mesmo com Ronaldo e Bebeto aqui, muitos continuaram os serviços”, disse Jérôme Valcke, em referência ao carinho demonstrado pelos operários quando os ex-jogadores entraram no estádio, que teve o plantio do gramado finalizado no último dia 21.01.
 
Um dos operários beneficiados com ingressos foi Brasilino Almeida dos Santos, 78 anos, que trabalhou na construção das duas Fonte Novas. Na primeira versão, em 1947, não tinha carteira assinada e a sua função era a de quebrar pedras. Hoje, com direitos trabalhistas em dia e salário de mais de mil reais, atua como pedreiro e afirma que tem até regalias. “Eles não querem que eu fique trabalhando no alto, no pesado. Vivo satisfeito”. A comitiva que visitou a arena também contou com a presença do ministro do Esporte, Aldo Rebelo, do governador baiano, Jaques Wagner, e do prefeito de Salvador, Antônio Carlos Magalhães Neto.
 
Mobilidade urbana
Perguntados sobre as obras do metrô da capital baiana, o governador e o prefeito reforçaram que estão trabalhando em conjunto para dar sequência ao projeto e garantiram que não haverá problemas de mobilidade na cidade para a Copa. Jaques Wagner disse que o processo de licitação para o metrô começará em breve e que os esforços serão para entregar pelo menos um trecho antes do Mundial.
 
“As pessoas que vão chegar ao aeroporto não são os clientes naturais do metrô. O que temos de garantir são corredores especiais. Posso garantir que não teremos problema de acesso nos dias de jogos e teremos soluções criativas”, disse.
 
O ministro Aldo Rebelo ressaltou que o metrô de Salvador não é um projeto que integra a Matriz de Responsabilidades para a Copa do Mundo. “O metrô de Salvador não faz parte dos compromissos assumidos com a FIFA, nem está na Matriz de Responsabilidades, que é o documento de compromisso entre so três entes federativos para antecipar as obras do país”.
 

 

Obras

 

A reforma da Arena Fonte Nova está com 91% de conclusão, com previsão de fechar o mês de janeiro com 95%. Mais de seis frentes de trabalho estão em andamento, como pisos, com 96% de finalização, e revestimentos, com 87%. As instalações (hidráulica, elétrica, TI, etc) chegaram a 88%, enquanto o edifício garagem está com 85% da estrutura executada. Neste momento, 3.600 colaboradores, entre administrativo, operários, engenheiros, técnicos e terceirizados atuam no canteiro de obras.
 
Gramado
Na segunda-feira (21.01), o plantio do gramado da Arena Fonte Nova foi finalizado. O processo foi realizado pelo modo sprig (espalhamento manual da planta, em ramos) e foi iniciado em 15 de janeiro. A grama é da espécie Bermuda Celebration, indicada para climas tropicais, a mesma utilizada no Castelão e no Mineirão.
 
O gramado vai passar por um processo de irrigação, com 35 pontos ao longo do campo, que tem dimensões de 105m x 68m, com distância em relação às arquibancadas de 10m nas laterais e 12,30m nas linhas de fundo. A grama ocupa uma área de nove mil m².
 

 

Camarote

 

Os primeiros camarotes da Arena Fonte Nova estão prontos. No total, serão 71, com mil assentos. As cadeiras possuem assento acolchoado, braço e estofamento em poliuretano.
 
Assentos
A colocação dos assentos está 44% concluída. As cores em tons de verde remetem às águas esverdeadas do Dique do Tororó, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Serão três tipos de assentos rebatíveis, sendo que para o público em geral as cadeiras são sem braço e para o público da área de hospitalidade (localizada no setor leste da arena) são com braço. Ambas possuem encosto confeccionado em resina plástica. Já as cadeiras dos camarotes têm assento acolchoado com braço e estofamento em poliuretano. A conclusão desta etapa está prevista para a segunda quinzena de fevereiro.
 
Cobertura
Mais de 64% da membrana da cobertura já foi instalada. Para este processo, uma equipe de 75 profissionais, montadores alpinistas especializados em construção civil, foi mobilizada. Flexível, resistente e auto limpante, a membrana é feita com matéria prima chamada plástico de alta performance reforçado com fibras de vidro PTFE.
 
Multiuso
Depois de pronto, o estádio terá cobertura com estrutura metálica leve, 2.100 assentos VIP, 94 banheiros, sendo 23 para deficientes, 39 quiosques de alimentação, restaurante panorâmico, área de imprensa, estacionamento coberto com aproximadamente 2 mil vagas e um museu do futebol. Projetado para ser uma arena multiuso, o local também poderá receber shows musicais e outros eventos culturais. O investimento total no empreendimento é de R$ 591,7 milhões, dos quais R$ 323,6 milhões de financiamento federal.

 

 

Fonte: Portal da Copa

Compartilhar
Av. Joana Angélica, n.° 399, Ed. Fernando José - Nazaré, tel: 55 71 3202-3602 / 3202-3608