A Arena Fonte Nova, por algumas horas, virou um cantinho da África.  A partida da noite desta quinta (20.06) é entre Nigéria e Uruguai, mas foi possível ver torcedores com camisas de Angola, Costa do Marfim, Camarões, entre outros países do continente. E muitas camisas de Bahia e Vitória também, mas de torcedores que querem um triunfo da Nigéria.

Sandro Monilo morou em Angola e criou um carinho especial pelos africanos. Por isso fez questão de vir torcer pela Nigéria. O pai, Adeíldo, acompanhou, mas por outros motivos. “Sou engasgado como Uruguai desde 1950, era criança e chorei muito. Vim torcer contra eles, vai dar 3 x 1 pra Nigéria”, disse.

Eles foram uns dos primeiros a chegar à arena. Perto deles, outra geração também trouxe bastante energia para os nigerianos:  os irmãos adolescentes Iuri e Ícaro Melo vieram ao jogo por duas razões. O primeira é a forte ligação da Bahia com a África. “Temos que apoiar os africanos, são nossas origens”, disse Iuri,  vestindo a camisa da Costa do Marfim. O outro motivo é o estádio. “É um reencontro pra gente, que sempre ia à Fonte Nova quando éramos pequenos. Desde que reabriu, nunca viemos. Para mim é uma emoção muito grande entrar na Fonte novamente”, contou Ícaro, que está com a camisa de Camarões.

Mas não são apenas os baianos que vieram torcer pela equipe africana. Peta Julian é empresário nigeriano e mora em São Paulo há um ano e quatro meses. Quando ficou sabendo do jogo, comprou logo o ingresso. “É uma forma de encontrar meu país mesmo estando longe. Vim dar a minha torcida”, contou. O placar, segundo ele, será de 3 x 1.

Presença Celeste

Os uruguaios em campo também terão a sua torcida, ainda que em menor número. Leandro Lerete e três amigos uruguaios estão seguindo a Seleção Celeste na Copa das Confederações e aproveitando para conhecer mais cidades no Brasil. A primeira parada foi em Recife com um resultado não muito agradável (2 x 1 para a Espanha). “Mas pelo menos vimos as estrelas espanholas”, contou. Em Salvador, o torcedor espera um resultado diferente.”É  um jogo crucial para a classificação, temos que ganhar”.

Gabriela Portuguez também é uruguaia, mas mora em Salvador há 18 anos. Ver o Uruguai na Fonte Nova, para ela, é unir a terra que a acolheu e a paixão pelo país de origem. “Assim que me aproximei do estádio, o hino estava tocando. Arrepiei. Pra mim isso tudo é incrível”, contou a profissional da área de Turismo, que espera um show de Cavani e Forlán.

Gabriela trouxe a filhaAna Paula e vários amigos.No caminho, ela ensaiou os gritos de apoio. Ana Paula é brasileira e fica com o coração dividido. Já a amiga Camila, que é uruguaia, chegou super animada. “Pra mim é uma chance única de ver o meu país aqui”, contou.

Fonte: Portal da Copa

Compartilhar
Av. Joana Angélica, n.° 399, Ed. Fernando José - Nazaré, tel: 55 71 3202-3602 / 3202-3608