Parceria com o SEBRAE vai intensificar ações nos 7 pontos mágicos de Salvador

Na manhã desta quinta-feira (3), o Escritório Municipal da Copa do Mundo da FIFA (ECOPA) marcou presença em mais um debate sobre trabalho informal na Copa, realizado no auditório anexo do Bahia Center, localizado no Centro. 

 

Promovido pela Comissão de Acompanhamento dos Empreendimentos da Copa 2014 da Câmara Municipal, o evento teve como objetivo buscar estratégias para assegurar o direito ao trabalho dos vendedores ambulantes de Salvador durante a Copa 2014. 

 

Segundo Sérgio Costa, coordenador de projetos do ECOPA, a prefeitura já trabalha conjuntamente com o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), com vistas à preparação do Mundial de futebol. “As ações serão intensificadas em lugares estratégicos, que são os sete pontos mágicos, através de um Termo de Cooperação entre a Prefeitura, o SEBRAE e a Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza do Estado da Bahia (SEDES). O projeto piloto vai contemplar os trabalhadores da Barra, Comércio e Centro Histórico”, disse Costa.

 

Entre as autoridades presentes no debate, estavam o vereador Sandoval Guimarães, o presidente da Fundação Mário Leal Ferreira, Luiz Baqueiro, a representante da Secretaria Municipal do Trabalho, Assistência Social e Direitos do Cidadão (SETAD), Diana Coni, o presidente do Sindicato dos Vendedores Ambulantes de Salvador, Simonal Santos, o membro da Associação dos Barraqueiros e Festas Populares, Ary Araújo, os integrantes da Associação dos Ambulantes, Marcos Luiz Neves (Cazuza) e Paulo Ferreira, o presidente da Federação de Capoeira, Nelsival Menezes, o representante do SEBRAE, Bruno Brandão, e o chefe de gabinete da Secretaria Estadual da Copa (Secopa), Renan Araújo.

 

Direito Desportivo

 

Na tarde do mesmo dia, o gestor do ECOPA, Leonel Leal, ministrou a conferência “Salvador e a Copa do Mundo 2014”, que integrou a programação do III Seminário Nacional Esporte e Justiça Desportiva e também Seminário Regional Nordeste sobre a Nova Lei Pelé, realizado no auditório do Ed. Caesar Business, localizado na Pituba.

 

O gestor interagiu com profissionais e estudantes da área jurídica e destacou três pontos importantes a serem considerados com a preparação da cidade: as oportunidades de trabalho trazidas pela realização dos megaeventos esportivos; a possibilidade de grande projeção de Salvador nos âmbitos econômico, político e institucional e sua repercussão em diferentes áreas profissionais, como a jurídica, comunicação social, entre outras. 

 

Além disso, Leal destacou a necessidade de considerar a dimensão social dos eventos. “Gostaria de incentivá-los a pensar de que forma vocês podem gerar impactos positivos na sociedade, que contribuam com a inserção social e melhoria da qualidade de vida das nossas crianças. A Copa não pode ser mais um circo, um espetáculo de seleções e depois ir embora, sem deixar legados para a população. A cidade tem que ganhar com o evento e eu lhes convido a participar desse processo”, afirmou o gestor do ECOPA.

Compartilhar
Av. Joana Angélica, n.° 399, Ed. Fernando José - Nazaré, tel: 55 71 3202-3602 / 3202-3608