A 140 dias da abertura da Copa do Mundo, a preparação para o evento entrou em uma etapa decisiva, na opinião do secretário-executivo do Ministério do Esporte, Luis Fernandes. Após reunião da diretoria do Comitê Organizador Local (COL) nesta quinta-feira (23.01), no Maracanã, ele enfatizou a necessidade de estabelecer novo padrão de funcionamento e atuação na organização do Mundial.

“Para além da entrega dos estádios, temos de cuidar agora de todas as operações. O Brasil é um país de dimensões continentais, com vários níveis de governo, e temos que viabilizar para que cada um cumpra seu papel e funcione de maneira integrada”, disse, em coletiva à imprensa no palco da final do torneio.

O secretário-executivo destacou que os esforços feitos na organização já produzem resultados. “Tivemos aqui uma apresentação muito importante, por parte da Secretaria de Aviação Civil e da Agência Nacional de Aviação Civil. Eles nos apresentaram as medidas em curso para reorientar a malha aérea do país e garantir o atendimento da necessidade de viagem dos torcedores que virão acompanhar os jogos da Copa”, disse Fernandes.

“Já foram autorizados mais de 1.900 voos, serão autorizados mais, e só essa primeira medida já resultou em significativa redução dos valores de passagens nos destinos da Copa”, completou o secretário-executivo, lembrando que medida semelhante será articulada com a rede hoteleira para que os mesmos resultados sejam alcançados nos valores de acomodação para os turistas durante o Mundial.

Primeiro evento com as 32 seleções

A reunião no Rio de Janeiro encerrou o primeiro ciclo de visitas que o secretário-geral da FIFA, Jérôme Valcke, fez aos estádios e sedes em 2014. A comitiva da entidade, que também contou com autoridades do governo federal e integrantes do COL, como os ex-jogadores Cafu e Bebeto, passou por São Paulo, Cuiabá, Curitiba e Natal.

A entrega da Arena das Dunas, na quarta-feira (22.01), na capital potiguar, foi destacada por Valcke, que fez questão de lembrar a data da próxima vinda ao Brasil: 18 de fevereiro, quando começa o seminário que vai reunir as comissões técnicas das 32 seleções participantes da Copa, em Florianópolis (SC). “É um momento importante porque todas as seleções qualificadas estarão no Brasil e vão querer ver onde vão treinar, onde vão se concentrar, o estádio onde vão jogar. Temos muitas informações importantes para dar a elas nessa semana”, disse.

Complexidade e detalhes

Após tomar parte da comitiva que visitou São Paulo, Cuiabá, Curitiba e Natal, o ex-jogador Cafu, campeão do mundo em 1994 e 2002, se disse bem impressionando com o que viu. “Eu não tinha ideia da complexidade que é fazer uma Copa do Mundo nos mínimos detalhes, mas tive uma impressão muito boa de tudo o que vimos”, afirmou.

A opinião foi partilhada pelo presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin. “Eu fiquei feliz nessas visitas e vamos desenvolver todo o nosso trabalho para que realmente o Brasil realize uma grande Copa, demonstrando mais uma vez a nossa competência, nossa capacidade de organização”, disse.

A maior preocupação é quanto ao andamento das obras da Arena da Baixada, em Curitiba, mas o secretário-geral da FIFA e os representantes do COL optaram por dar um voto de confiança aos esforços dos governos federal, do governo do Paraná e da prefeitura da cidade paranaense em acelerar os trabalhos. “Lá em Curitiba, acho que está numa situação mais difícil, mas tenho certeza de que eles vão virar esse jogo. Esse é o objetivo da gente: trabalhar duro e incansavelmente. Eu sempre fui um cara que pensa positivo e acredito demais que o Paraná vai virar esse jogo”, afirmou Bebeto.

 

Fonte: Portal da Copa

Compartilhar
Av. Joana Angélica, n.° 399, Ed. Fernando José - Nazaré, tel: 55 71 3202-3602 / 3202-3608