A adolescente Bianca de Jesus Campos, de 13 anos, hoje tem motivos para comemorar. Portadora de problemas neurológicos desde o nascimento e que comprometeram seu sistema motor, a estudante do 4º ano da Escola Municipal Oswaldo Cruz, no Rio Vermelho, só se locomove com um aparelho andador. Se antes Bianca precisava de ajuda para subir as escadas e ter acesso à sala de aula, agora ela utiliza o elevador implantado na unidade escolar, especialmente para atender os portadores de necessidades especiais. “Assim é muito melhor”, afirma.

 

A opinião é compartilhada pelo vendedor de souvenirs Valdir Barbosa, de 42 anos, frequentador do Mercado Modelo, no Comércio. Um dos principais cartões-postais da cidade também foi beneficiado com um elevador e rampa de acessibilidade, facilitando a mobilidade pelos dois pavimentos do local. “O equipamento facilita a vida de nós que somos deficientes, pois precisamos nos locomover com segurança”, pontua.

 

Desde 2005, a Prefeitura do Salvador vem implementando uma série de ações para garantir o cumprimento das normas de acessibilidade em prédios e logradouros públicos. Das cerca de 200 escolas da rede municipal reformadas e construídas nos últimos anos, 103 já são dotadas de equipamentos de acessibilidade.

 

Neste período, também foram realizados outros trabalhos, como adaptação de unidades de saúde e implantação de rampas e corrimãos em praças públicas, além da ampliação da frota de ônibus adaptados com elevadores para pessoas deficientes.

 

Saúde e transporte - Na área de saúde, das 155 unidades de atendimento existentes, 115 já obedecem às normas de acessibilidade. Dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) mostram que todas as 70 novas unidades erguidas, a partir de 2003, foram projetadas para atender esse critério. Já outras 45 unidades passaram por intervenções para torná-las acessíveis. Nas 40 unidades restantes, que funcionam em prédios muito antigos, estudos vêm sendo realizados para a implantação de adaptações.

 

Hoje, 55% da frota dos ônibus do Sistema de Transporte Coletivo da capital já está equipada com elevadores para deficientes. Trata-se de uma das maiores frotas especiais em favor da inclusão social no país. O percentual representa 1.346 ônibus adaptados, já equipados para receber os passageiros com dificuldade de locomoção ou usuários de cadeiras de rodas. De acordo com a Superintendência de Trânsito e Transporte de Salvador (Transalvador), a previsão é de que 100% da frota esteja equipada com elevadores até 2014.

 

Mais lazer - De 2005 até o momento, a Prefeitura construiu e recuperou cerca de 650 praças recreativas na cidade. Segundo a Secretaria Municipal de Transportes Urbanos e Infraestrutura (Setin), 90% desses espaços são equipados com rampas de acesso para cadeirantes e deficientes com outras dificuldades de locomoção, além de pistas táteis para deficientes visuais. 

 

Os equipamentos são projetados e instalados pela Companhia de Desenvolvimento Urbano de Salvador (Desal). De acordo com o presidente do órgão, Euvaldo Jorge, um problema enfrentado em quase todos os locais é a depredação quase diária, devido aos atos de vandalismo. O gestor afirma que a prática aumenta os gastos com manutenção, pois em muitos casos os equipamentos precisam ser refeitos ou substituídos.

 

 
Outras ações realizadas pela Prefeitura para garantir a acessibilidade dos portadores de deficiência podem ser conferidas aqui

 

 

Fonte: SECOM

Imagem: Internet

Compartilhar
Av. Joana Angélica, n.° 399, Ed. Fernando José - Nazaré, tel: 55 71 3202-3602 / 3202-3608