Em coluna publicada nesta sexta-feira (04.04) no site da FIFA, o secretário geral da entidade, Jérôme Valcke, falou sobre o legado deixado pela Copa de 2010 na África do Sul, apesar das dúvidas e críticas comuns na reta final de preparação para o mundial daquele ano.

“Quase quatro anos depois, a percepção comum é a de que aquela foi uma Copa do Mundo brilhante que alimentou a confiança de toda uma nação e alavancou a confiança para os negócios internacionais. Além disso, o país também ficou fortalecido pelas melhorias em TI e infraestrutura de um modo geral, ao mesmo tempo em que observou um avanço no turismo. Infelizmente, o pessimismo é uma tendência comum quando se trata da realização de eventos de grande porte. Mas, no final das contas, as coisas sempre funcionam”, disse Valcke, que esteve na África do Sul nesta semana para um seminário.

Em relação à Copa de 2014, o secretário geral disse que, da mesma forma, os brasileiros já podem ver legados tomando forma, como a melhoria da infraestrutura cultural e urbana, a capacitação de profissionais na área de serviços e a modernização dos estádios. “O Brasil está muito próximo de entrar em uma nova era em termos de estádios e serviços ao espectador”, disse.

Preparativos

Valcke disse que a maior parte dos preparativos está bastante avançada e elogiou a evolução em Curitiba e Porto Alegre, dois dos três maiores desafios, segundo ele. Em relação a São Paulo, o secretário geral lamentou a morte do operário Fábio Hamilton da Cruz, na Arena Corinthians, no último sábado. “A segurança é um item essencial e a nossa maior prioridade, seja durante a construção ou durante o evento em si. Os meus pêsames vão para a família e os colegas de Fábio Hamilton da Cruz. Ao longo dos últimos meses, algumas fatalidades de cunho bastante trágico ocorreram nas construções no Brasil e eu, como pai de família, sinto-me muito tocado”.

Quanto ao estágio de montagem e das instalações complementares no estádio do jogo de abertura, ele demonstrou confiança em um impacto limitado sobre o cronograma  e na finalização do estádio para a realização de eventos-teste até a metade de maio. Valcke informou ainda que as equipes operacionais da FIFA deram início à configuração da infraestrutura para emissoras, à tecnologia da linha do gol e às instalações de mídia.

“Aguardo ansioso por receber mais notícias positivas dos nossos parceiros na organização da Copa do Mundo no Brasil, em especial sobre como os desafios que ainda temos de superar serão resolvidos nas próximas semanas, assim como aguardo ansioso para voltar ao Brasil após a Páscoa”, disse. Ele também chamou atenção para o Tour da Taça, que percorrerá os 26 estados e o Distrito Federal a partir de abril, ao som da música oficial "We Are One (Olê Olá)", a ser lançada na próxima terça-feira (08.04).

Andar de  Novo

Jérôme Valcke destacou ainda o projeto Andar de Novo, coordenado pelo neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis, que permitirá a uma pessoa paraplégica dar o pontapé inicial da Copa com a ajuda de uma veste robótica. “O futebol está diretamente relacionado com a esperança, e poder imaginar a alegria de milhões de pessoas paralíticas que têm a oportunidade de andar novamente é uma iniciativa que a FIFA e eu, pessoalmente, apoiamos integralmente”, reforçou.

Leia a coluna completa no site da FIFA.

 

Fonte: Portal da Copa

Compartilhar
Av. Joana Angélica, n.° 399, Ed. Fernando José - Nazaré, tel: 55 71 3202-3602 / 3202-3608