Eles vêm de longe. Às vezes atravessam o oceano para chegar ao Brasil que sedia a Copa do Mundo. São 12 cidades-sede e as seleções dos 32 países não passam por todas elas. Então, se você vem de longe, a lógica seria ir para a cidade onde o seu país de origem joga, certo? Talvez não. É só dar uma caminhada por  Salvador para perceber que não só holandeses, espanhóis, alemães, portugueses, franceses, suíços, bósnios e iranianos que estão aqui.

A mistura transformou a cidade em um carnaval de gringos que querem mesmo aproveitar muito mais que futebol. Pesquisa realizada pela Secretaria de Turismo e Bahiatusa identificou que 66% dos turistas que visitaram Salvador nos primeiros dias da Copa são estrangeiros. Os principais países de origem são Estados Unidos e Argentina, seleções que não jogam em Salvador;  Alemanha , Holanda e Portugal, que jogaram na capital. Mas, também tem grande fluxo de estrangeiros  como do Canadá, país que não está na Copa. 

E não são só os canadenses que vieram para a Bahia, mesmo sem suas seleções estarem jogando na competição. O indonésio Harry Kawanda se autointitula como “viajante”.  Ele já conhecia o Brasil e quer ficar por mais tempo, a previsão é de que fique mais seis meses no país. E como se manter nesse tempo? “Faço o que você quiser”, disse.

O australiano Kah-Wai Wong também está no time dos ‘sem jogo’ de seu país de origem em Salvador.  Junto com mais três amigos, um italiano e dois indianos, veio para Salvador aproveitar a Copa e a cultura daqui. A ideia inicial era ir a São Paulo, que recebeu a abertura da Copa, mas... “Ninguém na Austrália conhece Salvador e nós queríamos conhecer alguma coisa diferente”, disse ele, que tem origem da Malásia.

Hospedados na Barra, eles chegaram a Salvador, na semana passada, e depois de visitarem alguns pontos turísticos da cidade, o saldo do turismo foi o melhor possível. “Nós amamos a cultura baiana, axé, acarajé, Pelourinho, Barra”.

E quem liga que a Austrália não vai jogar em Salvador, né? A Fan Fest está aí para isso. No primeiro jogo da seleção australiana, Kah-Wai foi com os amigos torcer pelo seu país na partida contra o Chile. Depois de mais de uma semana na capital baiana, ele e os amigos seguiram para o Rio de Janeiro conhecer a cidade. 

 

O inglês Deji Cruz também usou a Copa  como uma desculpa para voltar a Salvador pela terceira vez. “Eu já conhecia Salvador, gosto muito daqui, aí trouxe ele”, contou o turista, apontando para o amigo americano Aje Darres.

Gostar de Salvador parece ser uma língua em comum de quem vem para cá. O mexicano Luis Enrique Murray vai acompanhar o México em Pernambuco, mas tinha que dar uma passada por aqui. “Vamos para Recife para ver o México jogar, mas viemos antes para Salvador porque os mexicanos gostam muito daqui”, disse o turista. Ele e os amigos assistiram  aos jogos de Alemanha e Portugal e Suíça e França, na Fonte Nova.

 

iBahia

Compartilhar
Av. Joana Angélica, n.° 399, Ed. Fernando José - Nazaré, tel: 55 71 3202-3602 / 3202-3608