Estádio tem a terceira maior média de gols em mundiais e receberá mais duas partidas

 

 

Pela grande concentração de descendentes africanos, Salvador ganhou o apelido de ‘Roma Negra’. Pelo carnaval efusivo, com trios elétricos e milhares de pessoas nas ruas durante sete dias, se tornou a ‘Capital da Alegria’. Fundada como São Salvador da Bahia de Todos os Santos, a capital baiana agora convive com mais um nome. Se tornou ‘a cidade os gols’, palco das maiores goleadas da Copa do Mundo 2014 e, até o momento, a sede com maior número de tentos do mundial no Brasil.No total, foram 21 gols marcados em Salvador, todos na Arena Fonte Nova. O estádio que recebeu quatro jogos da Copa possui uma média superior a cinco gols por partida, melhor desempenho entre as Arenas do mundial 2014. O Beira Rio, no Rio Grande do Sul, ocupa a segunda colocação no ranking, com uma média de quatro gols por jogo, seguido pelo Castelão, que também tem média de quatro gols, mas uma partida a mais que o estádio gaúcho.


A vocação para gols aproxima Salvador de uma cidade situada na Coreia do Sul. Desde o mundial de 2002, nenhuma sede de Copa do Mundo havia registrado os 21 gols da capital baiana em apenas quatro jogos de Copa. A última vez que o feito ocorreu foi no mundial de Coreia e Japão, quando os torcedores no Big Bird Stadium, localizado em Suwon, viram as redes balançarem por 18 vezes em três confrontos, um deles entre Brasil e Costa Rica, que terminou com o placar de 5 a 2 para a seleção brasileira.Suwon possui mais gols que Salvador, mas não supera a capital baiana em número de goleadas. Os três jogos realizados na capital baiana terminaram em triunfos com mais de três gols de vantagem. Já na cidade coreana, uma partida entre Senegal e Uruguai terminou empatada em 3 a 3. Outro jogo, foi encerrado com um triunfo dos Estados Unidos sobre Portugal com o placar de 3 a 2.
Para o Big Bird Stadium, ficou reservado a frieza dos números, tal como era de se esperar de uma cidade coreana. A Fonte Nova se apropriou da emoção do gols fartos e do sorriso fácil provocado pelos placares dilatados, como também era de se esperar da ‘Cidade da Alegria’.


MÉDIA HISTÓRICA
Suwon ultrapassa Salvador em número de gols marcados em quatro jogos. Mas é a cidade baiana que está na história da Copa. Os 21 tentos marcados em território soteropolitano colocam a Fonte Nova, até o momento, como estádio de terceira maior média de gols de todo o mundial.Na história das Copas do Mundo, as maiores médias de gols em estádios que sediaram mais de uma partida foram registradas no Estádio St. Jakob, na Suiça, em 1954, com 44 gols em 6 partidas e média de 7,33 gols por jogo. Na segunda colocação, desponta o estádio Idrottsparken, na Suécia, em 1958, com 19 gols em 3 partidas e média de 6,33 gols por jogo. A Fonte Nova vem logo atrás, com média de 5,67 gols por jogo. Suwon, na Coreia do Sul, recebeu ao todo quatro jogos na Copa de 2002, contabilizou 20 gols, e possui média de cinco por partida.


Para seguir na cartilha histórica da Copa, Salvador terá que comprovar a vocação para goleadas. A Fonte Nova receberá mais três jogos da Copa do Mundo 2014, um deles pela fase de grupos, entre Bósnia e Irã, na próxima quarta-feira, e outros dois na fase eliminatória, pelas oitavas e quartas de final. Novos placares dilatados são esperados para manter a capital baiana com a marca histórica. E tratando-se da 'cidade dos gols', não será surpresa se a Arena Fonte Nova se solidificar como a 'fantástica fábrica de chocolates'.


MÃOZINHA NA ARTILHARIA
A Fonte Nova pode ser considerada um amuleto para os artilheiros da Copa do Mundo 2014. Dos cinco jogadores que lideram a lista de goleadores do mundial - todos empatados com três gols, apenas um não balançou as redes da Fonte Nova: o equatoriano Enner Valencia.
Os outros quatro artilheiros da Copa possuem intimidade com o estádio baiano. Os holandeses Van Persie e Arjen Robben marcaram dois dos gols mais icônicos do mundial na goleada por 5 a 1 sobre a Espanha. O alemão Thomas Müller é o único jogador da Copa do Mundo até aqui a marcar um hat trick. Os três gols do atacante foram na Fonte Nova, no 4 a 0 sobre Portugal.O francês Karim Benzema também poderia ter marcado um hat trick na Fonte Nova, mas esbarrou no goleiro suíço Benaglio e na falta de sensibilidade do árbitro holandês Bjorn Kuipers. O atacante perdeu um pênalti no estádio baiano, marcou um gol e poderia ter feito outro no jogo contra a Suíla. No último minuto do confronto, o camisa 10 francês acertou um belo chute em direção ao gol suíço e balançou as redes, mas o árbitro tinha encerrado o jogo segundos antes. Frustração para Benzema e dois gols a menos para a Arena Fonte Nova.


GOL DO REFLORESTAMENTO
Os gols marcados na Arena Fonte Nova fazem a festa da torcida e também ajudam a reflorestar a Bahia. Antes do Mundial, a Secretaria Estadual para Assuntos da Copa do Mundo (Secopa-BA) prometeu plantar 1.111 mudas de Mata Atlântica para cada gol marcado no estádio durante o mundial. Nos três jogos realizados (Holanda 5 x 1 Espanha, Alemanha 4 x 0 Portugal e França 5 x 2 Suíça) foram 17 gols, o que faz com que a Secretaria tenha que plantar 18.887 árvores em território baiano.
- No caso do programa, a Secopa, junto com seus consultores, garantiu a reserva de 31.111 mudas para atender ao que estabelece o programa. Essa quantidade prevê uma média de cinco gols por partida no estádio baiano, quantidade superior à média associada a jogos da Copa do Mundo, de 2,86 gols – explicou a Secretaria, através de um comunicado.


Caso a média de gols da Arena Fonte Nova se mantenha, a Secopa precisará providenciar novas mudas de árvore para cumprir o prometido.
- Por fim, a secretaria informa que o programa está executando, como previsto inicialmente, a captação de novos parceiros. Esta ação, não está relacionada com a quantidade de gols marcados nos primeiros jogos da Arena Fonte Nova. A intenção é ampliar o número de mudas que corresponde a cada gol, podendo assim valorizar ainda mais o placar e reflorestar uma área maior para celebrar cada conclusão no estádio – completou o comunicado.

Compartilhar
Av. Joana Angélica, n.° 399, Ed. Fernando José - Nazaré, tel: 55 71 3202-3602 / 3202-3608