A praia foi o principal atrativo do estrangeiro que desembarcou no Brasil durante a Copa do Mundo. É o que revela uma pesquisa realizada pelo Ministério do Turismo, em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). A maioria dos turistas (78,9%) aproveitou para curtir estes locais.

Além do litoral, a gastronomia (74,7%) e as compras (68,1%) aparecem entre as atividades mais praticadas pelos visitantes de fora. A diversão noturna (65%), as visitas culturais (53,7%), os passeios turísticos (37,9%) e o encontro com parentes e amigos (35,9%) também foram mencionados pelos turistas.

Dentre os destinos de praia visitados pelos estrangeiros estão as capitais: Rio de Janeiro, Natal, Fortaleza, Salvador e Recife, além de Jericoacoara, Ipojuca, Búzios, Angra dos Reis e Parati. Os visitantes internacionais, que permaneceram em média 13 dias no país, estiveram em pelo menos 378 municípios brasileiros, além das capitais dos jogos. A pesquisa se baseou, até o momento, nos relatos de 6.627 estrangeiros.

Apesar de a Copa ter sido realizada com o público que teve o Mundial como principal motivação, a opção de assistir a jogos ou participar de eventos esportivos motivou pouco mais de 33% dos entrevistados, ficando na nona posição entre as atividades praticadas na visita ao Brasil.

O estudo ainda revela que o país recebeu turistas de, pelo menos, 203 nacionalidades, e que a maioria (61%) ainda não conhecia o país e elogiou os serviços de infraestrutura e turismo. Os itens mais bem avaliados foram a hospitalidade e gastronomia, com 98% e 93% de aprovação respectivamente.

O turismo de sol e praia é o que atrai mais visitantes estrangeiros ao país, de acordo com estudos mais antigos do Ministério do Turismo. Em 2006, este segmento foi a opção de 54,7% dos visitantes em férias no país. Em 2012, o percentual subiu para 64,2%, de acordo com a Demanda Turística Internacional, na qual são ouvidos 31 mil visitantes internacionais.

 

Portal da Copa

Compartilhar
Av. Joana Angélica, n.° 399, Ed. Fernando José - Nazaré, tel: 55 71 3202-3602 / 3202-3608