Comandantes de todas as unidades operacionais da Força Aérea Brasileira e de bases aéreas conheceram em Brasília o esquema operacional que será utilizado na defesa aérea brasileira durante a Copa do Mundo da FIFA 2014.

Aeronaves de caça, transporte, helicópteros e aviões-radar serão diretamente empregados na defesa aérea na região dos estádios e deslocamentos de delegações. Para cada estádio foram estabelecidas áreas reservada (branca), restrita (amarela) e proibida (vermelha) para a circulação aérea. As regras são semelhantes as estabelecidas durante a Copa das Confederações.

No período dos jogos, o espaço aéreo próximo aos estádios será submetido a restrições de voo. Para a abertura e encerramento, serão três horas antes e quatro horas após o início do jogo. Para a primeira fase da competição, o tempo de restrição será de uma hora antes e três horas depois. Nas demais fases, uma hora antes e quatro horas depois. Em breve, o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), vai divulgar o Plano de Controle do Espaço Aéreo com as regras específicas para cada aeródromo durante o período do mundial.

"O envolvimento da FAB vai além do emprego de aeronaves" destacou o Comandante-Geral de Operações Aéreas (COMGAR), Tenente-Brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato.

Outra novidade está na modificação da estrutura interna para o comando do planejamento. O Centro Conjunto de Operações Aéreas (CCOA) ficará sob responsabilidade do Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (COMDABRA), único comando conjunto permanentemente ativado no país. O órgão, que também envolve a Marinha e o Exército, vai coordenar a mobilização dos meios aéreos e antiaéreos nas 12 cidades-sede.

 

Fonte: Secopa

Compartilhar
Av. Joana Angélica, n.° 399, Ed. Fernando José - Nazaré, tel: 55 71 3202-3602 / 3202-3608